quarta-feira, 9 de março de 2011

A omissão dos poderes públicos em Cabuçu

A praia de Cabuçu está localizada no recôncavo baiano, próximo ao Rio Paraguaçu, precisamente no município de Saubara, situado a aproximadamente 100 km de Salvador, capital do estado da Bahia e a 90 km de Feira de Santana, maior cidade do interior do estado. Ao longo dos anos o local foi se transformando em um ponto de encontro dos feirenses que possuem casas e/ou veraneiam no lugar.  Em termos econômicos a população de Saubara vive do pequeno comércio na sede do município, do artesanato e das atividades pesqueiras, tendo como referência o trabalho das marisqueiras, que circulam as barracas vendendo deliciosos petiscos .
Em vários pontos do caminho para Saubara é possível contemplar a beleza da Mata Atlântica. E ao chegar a Cabuçu, um dos melhores lugares para se contemplar a vegetação nativa é à beira da praia, por onde as pessoas caminham em direção ao manguezal, que a essa altura parece não mais pertencer aos nativos, nem aos veranistas da região, a área encontra-se cercada (numa extensão de mais de 5 km) e segundo os barraqueiros e marisqueiras está sendo construído um grande hotel (sem muito esforço é possível perceber as maquinas derrubando a vegetação) e os órgãos ambientais da Bahia precisam esclarecer concretamente o que está acontecendo na praia e no manguezal de Cabuçu.
Em dias normais a praia é um verdadeiro paraíso de águas mornas e calmas, areia branca e limpa, onde as famílias se divertem com muita tranqüilidade, perfeita para as brincadeiras das crianças, que se divertem livremente. Porém, nos períodos de férias e feriados prolongados, ocorre a chegada de uma super população, mudando completamente a rotina do pequeno lugarejo, em conseqüência, o paraíso vira uma terra sem lei, onde o lixo é descartado em qualquer lugar, inclusive na beira da praia, a poluição sonora ocorre em todos os lados, queimam lixo defronte às residências, motos e carros transitam na beira da praia.
É fácil perceber a omissão dos poderes públicos em Saubara, não somente pela prefeitura, que não consegue criar condições para coletar os resíduos gerados na alta estação, mas, sobre tudo o governo do estado, que se omite na questão do esgotamento sanitário, na melhoria do sistema de abastecimento de água, na segurança pública e de trânsito. O governo da Bahia precisa assumir outra postura em relação ao município de Saubara, uma vez que os recursos não podem ser destinados com base numa população de pouco mais 10 mil habitantes, tendo em vista, que em muitos meses do ano a população ultrapassa a casa das 50 mil pessoas, muito além da capacidade estrutural que o município apresenta, salvo melhor juízo.
Os veranistas também são responsáveis por grande parte dos impactos gerados naquele ambiente. Sendo assim, o poder público, os veranistas e os nativos precisam fazer um pacto com vistas ao equilíbrio socioambiental e uma melhor estruturação para o município de Saubara, visando à conservação do ambiente e melhor condição para as pessoas curtirem o lugar.
Fotos que retratam a beleza de Cabuçu e a felicidade dos veranistas:


O encontro dos amigos

As manifestações culturais


O fascinio das crianças ao visitar o mangue


Tirando onda


Que legal


Sombra e água fresca


Desfilando beleza


Famílias inteiras


Passeios de barco


Um mar de alegria
As características de cidade do interior

O verde eo azul do mar

Cabuçu tem areia branca

Só Deus para fazer o governo olhar p/ Cabuçu

Nem tudo é belo:                                               


O lixo descartado inadequadamente

Tratores em ação

Mais de 5 km de cerca: "um mangue"
                                                                                
                                                                                  
                                                                                 

Um comentário:

  1. Super Interessante essa matéria sobre a praia de Cabuçu Horácio,você relata com veracidade encanto natural do lugar e suas mazelas oriundas de um sistema falho,é um lugar bonito, porém maltratado e esquecido pelas autoridades.Sem deixar de lado a parcela de culpa da sociedade, que poderia ter mais cuidado com as belezas naturais,humildemente ofertada pela Naureza. Bom trabalho!

    ResponderExcluir